Santo Elói ou Elígio – Padroeiro dos joalheiros (dia 1 de dezembro)

Nascido no ano de 588 em Chaptelat, próximo a Limoges, França. Seus pais, camponeses humildes, zelaram pela educação do filho. Muito cedo ingressou na escola de ourives de Limoges, a mais conceituada da Europa naquela época. É o padroeiro dos joalheiros e ourives.

Sua honestidade e habilidade com a arte chamou a atenção do rei Clotário II que forneceu uma grande quantidade de ouro para que Elói  confeccionasse um trono real. O ourives fez não um mas dois tronos e dessa forma conquistou a confiança do soberano que  deu-lhe o cargo de guardião e administrador do tesouro real além de ourives do rei.  O sucessor de Clotário, Dagoberto II, acabou nomeando Elói como embaixador e conselheiro.

Entre suas obras estão o túmulo de são Martinho de Tours, o mausoléu de são Dionísio em Paris, o cálice de Cheles entre outros.

Um ourives em sua loja - Santo Eloi (Petrus Christus)
Um ourives em sua loja – Santo Eloi (Petrus Christus)

Com sua remuneração fundou e reformou mosteiros e igrejas, resgatou prisioneiros de guerra e colaborou com diversas obras religiosas.

Elói ingressou integralmente à vida religiosa no ano de 639, após a morte do rei Dagoberto II morreu. Em 641 foi consagrado bispo de Noyon, em Flandres.

Foi também escultor, modelista e marceneiro além de religioso.

Faleceu na Holanda em 1o de dezembro de 660.

Foi canonizado. Sua festa acontece na data de sua morte. Também é considerado padroeiro dos cuteleiros, ferreiros, ferramenteiros, celeiros, comerciantes de cavalos, carreteiros, cocheiros, garagistas e metalúrgicos.

Bibliografia e fontes

Fonte e mais informações: www.paulinas.org.br

Assuntos similares