Pérola: elemento de cura

A pérola não possui apenas beleza e magnetismo, ela também é usada para promover a cura.

Muitas culturas empregaram-na em tratamentos de saúde. Ela ocupa posição de destaque na antiga farmacologia.
A forma mais utilizada foi em pó.

Seu poder afrodisíaco foi muito explorado, principalmente em culturas orientais.

Egípcios usavam pérola moída na elaboração de cosméticos. Acreditavam que pudesse conceder um brilho iridescente à pele.

Os indianos empregavam-na contra hemorragia, icterícia, loucura, envenenamento, doenças dos olhos, tuberculose entre outras.
Atualmente os tradicionais curandeiros ainda utilizam a pérola em pó como elemento revigorante.

Na Europa chegou a ser usada nos tratamentos de epilepsia, demência e melancolia.

Para os chineses apenas as pérolas “virgens” (não perfuradas) podiam ser manipuladas em medicamentos. Curavam todas as doenças dos olhos.

Pó de pérola aplicado à pele curava a lepra. Sobre os dentes fortalecia esmalte e gengiva.

Foram queimadas e empregadas no tratamento de doenças do coração, dificuldades digestivas e mau hálito.
Queimadas, moídas e inaladas proporcionavam curas para enxaquecas, úlceras e problemas oculares.
Foram empregadas também no tratamento de gota, varíola e malária.

Atualmente já se tem comprovado que seus únicos poderes são de antiácido e adstringente.

Nas farmácias do Japão são comuns os comprimidos de pó de pérola, fonte de energia e cálcio.

Kokichi Mikimoto, o grande mestre da técnica do cultivo de pérolas, confessou aos 94 anos que seu excelente estado físico e mental eram fruto da ingestão diária de pérolas. Eram duas, todas as manhãs, desde os 20 anos de idade!

Além de bela … saudável!

Bibliografia e fontes

Dicionário Ilustrado de Símbolos
Hans Biedermann – Editora Melhoramentos

Publicação

Artigo originalmente publicado no site JoiaBr

Autor(a): Márcia Pompei

ver perfil e ler outros artigos

Que tal fazer um curso?

Assuntos similares