Cores no metal

Já é sabido por ourives, aprendizes e todo o pessoal do ramo joalheiro que cores podem ser aplicadas à superfície do metal, normalmente por galvanoplastia.

Surge um novo processo, chamado de PVD (Physical Vapour Deposition). Pode ser traduzido como “Deposição Física de Vapor”.

Tendo sido descoberto acidentalmente por Faraday ele hoje embeleza joias. Simplificando, trata-se de um processo de deposição em vácuo. Um material é transformado em vapor e depositado sobre a superfície de um substrato. Diversos metais puros ou ligados (inclusive o ouro) podem ser depositados.

Tal processo evoluiu para a técnica do “ion plating“. Com ela é possível atingir melhor adesão, controle da estrutura do filme, deposição em baixas temperaturas entre outros.

A peça precisa passar por uma rigorosa limpeza através de ultrassom. No interior de uma câmara a peça é aquecida e limpa novamente, agora por um bombardeio de gases inertes e íons metálicos. A seguir recebe o revestimento.

O PVD tem sido empregado nas mais diversas áreas aumentando a vida útil de ferramentas, diminuindo paradas de máquinas e custos de manutenção, consequentemente se aumenta a produtividade e melhora o acabamento.

Através de ajustes adequados é possível obter uma grande variedade de cores.

O ouro chocolate, visto recentemente em algumas coleções internacionais, é resultado desse processo. A grife “Grisogono”, que em meados de 2007 lançou uma coleção com essa coloração, intitulou a novidade como “Browny Brown Gold“. Veja mais em www.degrisogono.com

 

Bibliografia e fontes

Consultoria:
Antonio Carlos Arruda – Coordenador de Revestimentos PVD

Bodycote
www.bodycote.com

Brasimet
www.brasimet.com.br

Assuntos similares